Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Maine Coon  

o gigante gentil.

 Seja isolado ou em exposição, um felino da Raça Maine Coon impressiona pelo porte avantajado e altivo, e pela felina beleza de ser!

Na época da guerra da independência americana, os Mainecats (mesmo muito depois, em 1900 ainda eram assim chamados) serviam para afirmar o orgulho patriótico dos habitantes do Maine e foram mostrados em  muitas exposições felinas locais mas ainda não eram uma raça consolidada.  

Os bem humorados povos do Maine logo começaram a considerar este felinos tradicionais em meio a vida cotidiana.

Sendo uma região de muitas fazendas e rotas portuárias o gato avantajado e resistente ao frio (devido à pelagem espessa) resultante de cruzamentos entre gatos de pelos curtos locais com outros de pelo longo europeus (destaque para os Angorá) tornaram gatos de trabalho em razão da quantidade de roedores que assolavam fazendas e navios.

A cor mais idolatrada sempre foi o Brown Tabby (marrom tigrado). É possível que estes gatos foram simbolizados desde o início por esta cor, a mais característica do próprio racoon (guaxinim) das florestas, porque as esposas de fazendeiros da época voltavam atenção para a maciez da pelagem de seus Brown Tabbies, como outra de suas características mais marcantes.

Consta que membros de famílias abastadas do Maine e New York realizavam expedições de quatro a sete dias à procura de exemplares  Nos anos 1920 com a introdução de gatos persas e siameses de muito bom pedigree e padrão arrefeceu o interesse pelos Maine Coons.

 

Então nos anos 1950 houve novo surto de interesse: exibidos como os gatos mais avantajados da America, em exposições felinas pelo País, com o nome “MaineCats” (mesmo sendo conhecido como “Coon Cats” em seu lar de origem), a raça agora era assim formalmente denominada como “Maine Coon Cat” em 1968 na criação do Maine Coon Cat Fanciers, associação nacional que teve o objetivo de definir os padrões e popularizar a raça. Em 1975, o Maine Coon já era a mais nova raça reconhecida internacionalmente, desta vez não apenas por uma ou outra, mas por todas as instituições felinas ao redor do mundo, sendo designado em 1985 como o gato nativo do Estado americano do Maine, pelo ato da legislatura americana.

Uma conseqüência deste novo posicionamento foi que se desenvolveu o conhecimento e a necessidade de se manter o vigor híbrido doas animais da raça pois o acasalamento de animais parentes dá ensejo ao aparecimento de problemas congênitos e imunodeficiências. Muito pertinente fazer um alerta aqui da necessidade de se adquirir exemplares de criadores competentes para evitar que seja premiado com um problema (que num gato gigante, nunca será anão).

Hoje há pelagens para as diversas preferências: desde completamente brancos ou negros aos rajados de diversos matizes.

A Royal Shower  é conhecida pela excelência no trato com a pelagem em gatos. Assim também é para os Maine Coons (e outros gatos grandes como Norueguês da Floresta – do qual certamente falaremos em outra ocasião).